Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
  • Acessibilidade
  • Alto Contraste
  • Mapa do Site
  • PortugueseEnglishSpanishChinese (Simplified)FrenchGermanItalian
Página Inicial > Notícias > Notícias (Foto Pequena) > Campus Maracanã: alunos do e-Tec Brasil em Caxias apresentam propostas para a Agropecuária local
Início do conteúdo da página Notícias

Campus Maracanã: alunos do e-Tec Brasil em Caxias apresentam propostas para a Agropecuária local

  • Assessoria de Comunicação
  • publicado 06/03/2012 21h12
  • última modificação 06/03/2012 21h12

arrozCom mais de 150 mil habitantes e população rural correspondente a pouco mais de 23%, a produção de alimentos passou a ser motivo de interesse e preocupação em Caxias, município localizado a 360 km da capital maranhense. Pensando nisso, alunos do e-Tec Brasil, sistema de educação a distância oferecido pelo Campus Maracanã, apresentaram propostas para os produtores locais, no I Seminário do Curso Técnico em Agropecuária do pólo Caxias, realizado no dia 26 de fevereiro.

 

A proposta da primeira equipe foi de investimentos no cultivo de arroz. O Maranhão é o maior produtor nordestino dessa cultura, atingindo 58% da produção regional. Nas décadas de 1960 e 1970, foram feitas pesquisas pela SUDENE e pela Secretaria de Agricultura do Maranhão, nos municípios de Rosário, São Luís, Pedreiras e Dom Pedro, para a introdução das variedades “pratão”, “douradão”, “A-19”, “chatão”, “zebu branco”, “pingo de ouro”, “IAC 1246”, “IAC 5100”, entre outras.

 

O ciclo de arroz mais recente no Estado foi marcado pela estruturação do programa de melhoramento genético, encabeçado pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA). Dezenas de espécies com características agronômicas superiores às variedades tradicionais chegaram aos produtores maranhenses. Hoje, o Maranhão é considerado auto-suficiente na produção de arroz. O consumo interno é estimado em 400 mil toneladas, menos da metade do que é produzido: um milhão de tonela.

 

cultivo_do_abacaxiOutra indicação é o cultivo de abacaxi, segundo fruto mais industrializado do país. Os cuidados no manejo de mudas, na preparação do solo, a observação do clima, temperatura e da melhor adubação, além do controle de plantas daninhas e da irrigação, garantem que os pés de abacaxi cheguem a 1,20 m de altura e 1,5 m de diâmetro.

 

implemento_agrcolaA utilização de implementos agrícolas, visando a uma maior produtividade, foi assunto abordado pela terceira equipe. Os alunos fizeram a ressalva de que a mecanização facilita o aumento da produção, mas ela por si só não resolve. É preciso que seja feito o preparo do periódico do solo, criando as condições necessárias para a implantação do cultivo. Os produtores rurais devem atentar, também, para que não se agrida o ambiente com o uso incorreto de implementos.

 

olericulturaEsse tipo de estrutura nem sempre é acessível a quem vive da agricultura familiar, tema exposto pela quarta equipe. De acordo com as conclusões dos alunos, nos últimos 50 anos, as intervenções em busca do desenvolvimento rural pouco modificaram o estado e a dinâmica da pobreza nas zonas rurais. Agricultura familiar ainda responde por maior parte da produção maranhense, mas não recebe todo apoio que precisa.

 

Orientações técnicas

 

forragemEntre os trabalhos apresentados no município/pólo de Caxias houve também orientações sobre o cultivo do capim-elefante, muito usado para alimentação de bovinos no Brasil. O rebanho comercial brasileiro é o maior do mundo. Para alimentar esses animais, o país produz pastagens em mais de 170 milhões de hectares. O capim-elefante é um dos mais utilizados, por ter uma elevada produção de matéria seca (MS). Essa espécie pode atingir 5 metros de altura, mas requer alto investimento na sua implantação. Os alunos da quinta equipe recomendaram o capim, considerando que a relação de custo/benefício é favorável.

 

debicagemJá as orientações da sexta equipe foram relacionadas a dois grandes problemas da criação de aves poedeiras: a bicagem de penas e canibalismo. Confinadas em gaiolas e por influência de fatores hormonais, as aves podem apresentar esse comportamento agressivo, causando problemas econômicos e de bem estar às aves. Para evitar isso, é indicado que se faça a debicagem das galinhas.

 

No procedimento, são retiradas partes do bico superior e inferior, com lâmina quente.  O processo é delicado e deve ser feito por profissionais treinados. No começo, No começo, as aves podem ter dificuldades de se alimentar e precisam de um período de reabilitação. Mesmo assim, é uma prática recomendada e desejada.

 

pisciculturaA sétima equipe finalizou as apresentações mostrando como os produtores podem ter uma criação de peixes mais eficiente.

 

O seminário foi acompanhado pelo diretor geral do Campus Maracanã, Vespasiano de Abreu da Hora; pela coordenadora geral do e-Tec no campus, Luciemeire Amorim Castro; e pelo coordenador de Produção, José Zenóbio de Souza.

Assunto(s): Campus Caxias
Fim do conteúdo da página