Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
  • Acessibilidade
  • Alto Contraste
  • Mapa do Site
  • PortugueseEnglishSpanishChinese (Simplified)FrenchGermanItalian
Página Inicial > Notícias > Cursos de Química e Zootecnia são avaliados pelo MEC
Início do conteúdo da página Notícias

Cursos de Química e Zootecnia são avaliados pelo MEC

O objetivo da avaliação é o reconhecimento do curso de Zootecnia e renovação de Química
  • Assessoria de Comunicação
  • publicado 25/09/2017 17h27
  • última modificação 25/09/2017 17h28

Durante os dias 21 e 22 de setembro, avaliadores do Ministério da Educação (MEC) estiveram no Instituto Federal do Maranhão (IFMA) Campus Caxias para avaliar os cursos de Licenciatura em Química e Bacharelado em Zootecnia.  Na visita, Nilton Garcia Marengoni (Universidade Estadual do Oeste do Paraná), e Júlio Cesar Souza (Universidade Federal do Mata Grosso do Sul), avaliaram o curso de Bacharelado em Zootecnia com o objetivo de reconhecimento. Já Reinaldo Marchetto (Universidade Estadual Paulista), e Milton Roedel Sales (Universidade Federal do Rio de Janeiro), avaliaram o curso de Licenciatura em Química com o objetivo de renovação.

Os avaliadores analisaram documentos e reuniram-se com alunos, professores, coordenação do curso, Departamento de Registro e Controle Acadêmico, Núcleo de Atendimento as Pessoas com Necessidades Específicas e outros setores estratégicos do campus. Eles fizeram ainda visita aos laboratórios, biblioteca e em instituições conveniadas. “A gestão do Campus Caxias tem se empenhado bastante para estruturar a Fazenda Escola, laboratórios e outras demandas do curso de Zootecnia. Além do mais, todas as nossas atividades estão alinhadas e articuladas ao tripé: Ensino, Pesquisa e Extensão”, declarou a coordenadora do curso de Bacharelado em Zootecnia, Maria Verônica Meira de Andrade. “Vale destacar um dos pontos fortes no curso de Zootecnia, que é Iniciação Científica e a extensão, onde vários discentes do curso estão envolvidos em projeto com bolsas de órgãos de fomento como o CNPq e Fapema, além do fomento do próprio IFMA, o que contribuirá para um resultado favorável na avaliação do INEP”, acrescentou a coordenadora.

Ela explicou ainda que o campus tem investido na melhoria dos laboratórios, com aquisição de equipamentos e insumos, e na qualificação dos professores. Atualmente, o corpo docente da área específica  do curso conta com 04 mestres e 08 doutores. A estrutura física é formada por laboratório de bromatologia, microbiologia, biologia, leite e derivados, química, processamento de carnes e derivados, câmara fria, processamento de mel e laboratório de Informática.

Joaldo da Silva Lopes, coordenador do curso de licenciatura em Química, destacou que a instituição espera manter o conceito no pedido de renovação. “Esperamos manter o conceito que tivemos na primeira avaliação, que foi 4 em uma escala de zero a 5, correspondendo a  muito bom. Estamos confiantes, já que atendemos a maioria das ressalvas apontadas pelos avaliadores”, destacou o coordenador.“Fizemos a reformulação do Projeto Pedagógico do Curso em conformidade com a resolução CNE/CP Nº de 2 de julho de 2015 e com as resoluções do IFMA, que está em avaliação pela PROEN. Os laboratórios de ensino foram reestruturados. Preparamos materiais didáticos para as práticas experimentais das disciplinas iniciais de Química. Adquirimos materiais e reagentes para utilização no ensino e pesquisa. Elaboramos projeto de extensão para melhorar a formação inicial dos alunos dos cursos de licenciatura em química. Foram criados três laboratórios de pesquisa (laboratório de pesquisa em ciências da natureza, laboratório de pesquisa em aproveitamento de biomassa e limnologia e laboratório de pesquisa em ensino de ciências), com várias atribuições. Estamos com um processo de compra de equipamentos, pronto para empenho, para modernizar os laboratórios de ensino e pesquisa.  Além disso, durante este período, aumentamos a participação dos alunos em eventos locais, regionais e nacionais, além da publicação de trabalhos científicos relacionados ao ensino, pesquisa e extensão.” ponderou o coordenador.

Atualmente, o corpo docente especifico do curso de licenciatura em Química conta com 22 mestres e 06 doutores. “Consideramos os processos de reconhecimento do curso de Bacharelado em Zootecnia e renovação de reconhecimento do curso de licenciatura em Química de extrema relevância para o Campus Caxias, uma vez que fortaleceremos nossas ações, sobretudo na formação de pessoas e profissionais que atuarão com competência no mercado de trabalho”, destacou a diretora de desenvolvimento educacional do campus, Waldirene Pereira Araujo.

Fim do conteúdo da página