Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
  • Acessibilidade
  • Alto Contraste
  • Mapa do Site
  • PortugueseEnglishSpanishChinese (Simplified)FrenchGermanItalian
Página Inicial > Notícias > Notícias (Destaque Foto Grande) > Professora do Campus Caxias ganha Prêmio Fapema 2017
Início do conteúdo da página Notícias

Professora do Campus Caxias ganha Prêmio Fapema 2017

Andreia Freitas de Oliveira recebeu o prêmio na categoria Tese de Doutorado.
  • Por Ascom, com informações do IFMA Campus Caxias
  • publicado 18/12/2017 14h51
  • última modificação 18/12/2017 14h52

A professora Andreia Freitas de Oliveira, do Instituto Federal do Maranhão (IFMA) Campus Caxias, venceu o Prêmio Fapema (Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão) 2017, na categoria Tese de Doutorado, área Ciências Agrárias. A cerimônia de premiação ocorreu no dia 5 de dezembro, no Auditório da Federação das Indústrias do Estado do Maranhão (Fiema). A edição deste ano homenageou o jornalista e militante Neiva Moreira.

Andreia de Oliveira (em segundo, da esq. para a dir.) venceu na categoria Tese de Doutorado em Ciências Agrárias.

Andreia Freitas de Oliveira venceu prêmio com o trabalho “Bioprospecção de produtos vegetais do cerrado maranhense com atividade anti-helmíntica”, em que pesquisa o potencial de extratos de plantas encontradas no Maranhão no combate a parasitas gastrintestinais em ruminantes. A professora desenvolveu o estudo sob orientação do professor Livio Martins Costa Junior, durante o Doutorado em Biotecnologia, da Universidade Federal do Maranhão (UFMA).

Andreia Freitas explicou que em sua tese buscou pesquisar plantas da flora do cerrado maranhense que tivesse potencial para fazer controle de parasitas gastrintestinais que causam importantes prejuízos à produção de pequenos ruminantes. “Para tanto, fizemos entrevistas em uma comunidade rural buscando o conhecimento popular sobre espécies vegetais já utilizadas por eles para tratamento animal. Além disso, realizamos testes laboratoriais para avaliar a eficácia dessas plantas”. A professora destacou ainda que recebeu bolsa da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) para desenvolver sua pesquisa. “Com a bolsa, tive a oportunidade de realizar estágio na École Nationale Vétérinaire de Toulouse, na França”pontuou. “Esse prêmio fecha com chave de ouro um ano de muito trabalho. Espero com ele plantar a sementinha da pesquisa nos alunos e os ajudar a entender a importância dos benefícios que a pesquisa pode trazer na comunidade onde estão inseridos”, frisou Andreia Freitas.

Para o orientador do trabalho, professor Lívio Martins Costa Junior, a pesquisa desenvolvida será importante para todo o estado maranhense. “O trabalho desenvolvido por Andreia, em parceria com diversos grupos de pesquisa do Brasil e do exterior, vai beneficiar todo o estado, mas, sobretudo para as comunidades do interior”, pontuou o orientador.

Além de Andreia Freitas, duas pesquisas desenvolvidas por alunos e professores do Instituto Federal do Maranhão (IFMA) e uma reportagem de jornalismo científico publicada no site da instituição venceram o Prêmio. A jornalista e os pesquisadores receberam premiação em dinheiro, certificado e troféus pelo trabalho desenvolvido.

Perfil da professora

Andreia Freitas de Oliveira possui graduação em Medicina Veterinária pela Universidade Federal Rural do Semiárido (2004) e mestrado em Mestrado em Ciência Animal pela Universidade Federal Rural do Semi Árido (2008) e Doutorado pela Universidade Federal do Maranhão (2016). Atualmente é professora do ensino básico, técnico e tecnológico. Tem experiência na área de Medicina Veterinária, com ênfase em Manejo e Sanidade de Animais de Produção, atuando principalmente nos seguintes temas: Parasitologia, pesquisa de fitoterápicos, alimentos alternativos, agroecologia.

Outros premiados

Além da tese da professora Andreia Freitas de Oliveira, outras duas pesquisas desenvolvidas por alunos e professores do Instituto Federal do Maranhão (IFMA) e uma reportagem de jornalismo científico publicada no site da instituição também conquistaram o Prêmio Fapema 2017.

(Da esq. para a dir.) Mariela Carvalho, Andreia de Oliveira, Agenor Almeida, Gerliane Chaves, João Paulo da Silva e Anthony de Alencar

A jornalista Mariela Carvalho foi a vencedora na categoria Jornalismo Científico. Já a professora Andreia Freitas de Oliveira, do IFMA Campus Caxias, conquistou a premiação na categoria Tese de Doutorado, área Ciências Agrárias. O aluno Anthony Soares de Alencar, do curso de Engenharia Elétrica Industrial – Campus São Luís – Monte Castelo, foi o ganhador na categoria PopVídeo Ciências. Também na categoria PopVídeo, a aluna Luíza Beatriz Rosa Lima (Campus São Luís – Monte Castelo) ficou na segunda posição, com o vídeo Educação inclusiva pela perspectiva da arte, orientado pela professora Ivana Márcia Oliveira Maia.

Na categoria Desenvolvimento Humano, a premiada foi a pesquisadora Gerliane da Silva Chaves, ex-aluna do curso Técnico em Eletromecânica do Campus Açailândia e atualmente estudante do curso superior de Ciências da Computação do Campis Imperatriz. Ela desenvolve o trabalho vencedor com outro aluno do IFMA, João Paulo Alves da Silva, estudante do curso Técnico em Alimentos, do Campus Açailândia.

O IFMA conquistou ainda o segundo e terceiro lugares na categoria Pesquisador Júnior. A aluna Lara Maria Almeida Ferreira, do curso técnico em Comunicação Visual Integrado (Campus São Luís – Monte Castelo), conquistou a segunda posição com o trabalho Design gráfico aplicado ao resgate da documentação técnica das embarcações maranhenses. A terceira posição ficou com a aluna Ana Beatriz Soares Pereira, do técnico em Comunicação Visual Integrado (Campus São Luís – Monte Castelo), que inscreveu o trabalho Ambiente gráfico para jogo educativo inclusivo. Os dois trabalhos foram orientados pela professora Ivana Márcia Oliveira Maia.

Fim do conteúdo da página