Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página Inicial > Notícias > Campus participa de seminário de pesquisa em acervo
Início do conteúdo da página Notícias

Campus participa de seminário de pesquisa em acervo

O evento foi realizado na Academia Caxiense de Letras, com a presença de estudantes e servidores da Uema e Ifma.
  • Assessoria de Comunicação
  • publicado 05/02/2018 11h09
  • última modificação 05/02/2018 11h09

Vanessa da Costa Bastos, auxiliar de biblioteca do IFMA, relata sobre pesquisas em acervos informacionais.

O Instituto Federal do Maranhão (IFMA) Campus Caxias participou, na quinta-feira (01), do Seminário de Pesquisa em Acervo, promovido pelo Núcleo de Pesquisas, Literatura, Artes e Mídia da Universidade Estadual do Maranhão (UEMA) Campus Caxias. O Instituto foi representado por Ianna Torres Lustosa, bibliotecária, e Vanessa da Costa Bastos, auxiliar de biblioteca. Realizado na Academia Caxiense de Letras, em Caxias/MA, teve por objetivo socializar os achados e pesquisas oriundos do projeto “Acervo da Academia Caxiense de Letras: Preservação, Digitalização e Divulgação”, financiado pela Fundação de Amparo ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão (FAPEMA).

Durante o seminário, os participantes refletiram sobre a necessidade de implementar políticas de valorização do patrimônio cultural e resgate dos autores presentes no acervo da Academia. As instituições envolvidas no projeto tornaram público o trabalho desenvolvido durante os anos de 2016 e 2017. “Assim, de um lado, temos as pesquisas acadêmicas que fomentam e tornam vivo o interesse em se produzir e publicar trabalhos sobre autores maranhenses, e, por outro, uma visitação e revisitação às obras que, popularizadas ou não, fazem parte da nossa identidade cultural”, explicou professor do departamento de letras da UEMA, Emanoel Cesar Pires de Assis.

“A biblioteca do IFMA Caxias tem se esmerado em promover a importância da disseminação da informação, tanto no âmbito da sua comunidade interna quanto na externa, executando parcerias, em especial com a UEMA, através da Coordenação do Curso de Letras”, frisou Ianna Lustosa, durante sua participação no evento. Ao público, a servidora do Instituto explicou sobre preâmbulos da organização e pesquisa em acervos informacionais. “A realização desse projeto é importante por promover a difusão de acervos bibliográficos e a biblioteca do Campus colabora, desde o tratamento técnico destes materiais, até capacitações para os acadêmicos compreenderem e contribuírem ativamente na disseminação destes centros de informação”, destacou.

Emanoel de Assis destacou ainda que a iniciativa é importante por despertar o interesse pela pesquisa em acervos bibliográficos “uma vez que Caxias é berço de importantes escritores. Além de mostrar para a sociedade as possibilidades de pesquisa e de salvaguarda do nosso patrimônio cultural”. O professor frisou que o projeto teve início em 2015 e que possibilitou a melhoria das condições físicas do acervo da Academia Caxiense de Letras. “Além de ter possiblitado a informatização, a restauração e digitalização de obras raras, como as de Coelho Neto, escritor caxiense que encontrava-se praticamente esquecido”.

O poeta e vice-presidente da Academia Caxiense de Letras, Renato Meneses, argumenta que o projeto mundializa, através da Internet, o acervo de livros da academia. “Cerca de 3 mil livros já foram catalogados, e a coleção de 110 livros de autoria de Coelho Neto já encontra-se disponível no site da Universidade de Santa Catarina”, comemora.

Por ser apreciador de acervos, Jefferson Carlos Sousa Marques, aluno do 9º período de Letras/Inglês da UEMA, compareceu ao seminário. Em sua avaliação, o evento foi bastante enriquecedor.  “ Percebi o quão leigo era ao manusear obras literárias. Descortinar a mente para boas experiências, e novos aprendizados, é  sempre satisfatória, e, de tudo que foi dito no decorrer do seminário, ficou em mim, as palavras: preservar, conservar e restaurar. São bem significativas, visto que, estávamos falando de livros, e recebendo dicas de como usufuir sem danificar, levando em consideração que os acervos são uma forma de conhecimento compartilhado. Deixo aqui, minha gratidão por todo conhecimento partilhado. Foi um incentivo necessário”, confessou.

registrado em:
Assunto(s): acervo , biblioteca , parceria
Fim do conteúdo da página