Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
  • Acessibilidade
  • Alto Contraste
  • Mapa do Site
  • PortugueseEnglishSpanishChinese (Simplified)FrenchGermanItalian
Página Inicial > Notícias > Campus encerra SNCT com premiação
Início do conteúdo da página Notícias

Campus encerra SNCT com premiação

Evento ocorreu entre os dias 29 de outubro e 01 de novembro.
  • Ascom, com informações do campus
  • publicado 06/11/2019 12h11
  • última modificação 06/11/2019 16h16

Comissão Organizadora: a SNCT superou nossas expectativas

Entre os dias  29 de outubro e 01 de novembro, o Instituto Federal do Maranhão (IFMA) Campus Caxias realizou a 16ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT), integrada ao 1º Workshop de Agroindústria e ao 5º Seminário de Iniciação Científica (SEMIC). Considerado o maior evento da unidade de ensino, a comissão organizadora estima que mais de 1.500 pessoas circularam pelo evento.  “A SNCT superou nossas expectativas, tanto em inscritos e participantes, quanto no número de atividades”, comemorou professor Pedro Alberto Pavão Pessoa, presidente da comissão organizadora.

Em quatro dias de atividades, o campus promoveu mais de 90 atividades, sendo 25 oficinas, 22 palestras, 36 minicursos, apresentações culturais e 2 mesas-redondas e o concurso de produção de alimentos inovadores. “As atividades foram em diversas áreas e com isso contemplaram alunos de todos os cursos, inclusive os que não oferecemos, mas que outras instituições da cidade ofertam”, frisou o professor.

Além de Pedro Pessoa, mais 13 servidores e 56 estudantes participaram diretamente da organização do evento, atuando como monitores em áreas estratégicas, como credenciamento, cerimonial, logística, patrocínio, site e divulgação. “É muito gratificante saber que esse evento foi realizado com todo vapor graças ao meu empenho e participação. O melhor de tudo é o aprendizado que pode ser levado pra toda a vida. Foi uma ótima experiência”, avaliou o aluno Zakeu Gayo Macedo Aguiar, do curso de Ciência da Computação, que atuou no grupo de divulgação.

O último dia da SNCT, 1º de novembro, contou com 9 palestras, 5 oficinas e 2 minicursos. Naquele dia, os estudantes estavam na reta final da preparação para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). “Sabendo disso, nós dedicamos uma manhã inteira para palestras que abordaram estratégias para ensinar o aluno a ter bom desempenho nas questões do Enem”, destacou professor Pedro Pessoa.

Oficinas alternativas de adubação para culturas agrícolas

Ainda no turno da manhã, o professor Daniel Veras apresentou, em uma oficina, as revistas internacionais de alto impacto e ensinou como direcionar a redação científica para aumentar as chances de publicação nesses periódicos. Outro destaque do encerramento foi a oficina “Alternativas de adubação para culturas agrícolas: sustentabilidade na melhoria do solo”, ministrada pelos os professores José Ribamar Muniz Campos Neto e Diogo Herison Silva Sardinha. “O encerramento aconteceu com aplicação e simulação de cálculos de calagem e adubação de culturas agrícolas, além de apresentação técnicas sustentáveis ligadas a formulação de fertilizantes orgânicos, como compostagem e vermicompostagem”, frisou Muniz Neto.

Chamada de “Tarde da Química”, entre 14h e 18h, às atividades do último dia abordaram temas como nanotecnologia em alimentos, materiais bioinspirados, química e pesticidas na bioeconomia.

Quem participou da SNCT viveu uma semana de muito aprendizado, trocou experiências com estudantes e profissionais de Caxias, Codó, São Luís, Coelho Neto, Timon e Teresina, além de ter conquistado novas amizades. Que o diga as alunas Aline Barroso Freitas, Nayara Pereira Lima e Raquel Leite da Silva, do curso de tecnólogo em Alimentos, do Campus Maracanã. Acompanhadas pela professora Josilene Lima Serra, elas aproveitaram todas as atividades da Semana de Ciência e Tecnologia, do Workshop de Agroindústria e do SEMIC. No evento, Aline Freitas apresentou uma pesquisa sobre extração, otimização e caracterização físico-química do amido da farinha do caroço de pitomba (Talisia esculenta Radlk). “Foi uma experiência maravilhosa apresentar o projeto”, disse ela. “Primeira vez que participo de evento aqui, no Campus Caxias, e foi uma experiência muito boa, pois conhecemos novas pessoas, tivemos uma excelente acolhida no campus e ainda apresentamos o nosso trabalho para centenas de pessoas”, destacou a aluna Aline Santos.

Já Nayara Pereira Lima desenvolveu um projeto de pesquisa através da avaliação físico-química e sensorial de iogurtes produzidos com leite de búfala, cabra e vaca. “O evento foi muito bem organizado. Me senti em casa hospedada aqui”, brincou a aluna.

Professora Josilene Serra: levou a premiação de melhor apresentação na área de ciências agrárias

A professora Josilene Serra aproveitou a oportunidade também para ministrar um minicurso sobre aproveitamento integral dos alimentos, com o objetivo de demonstrar como os resíduos, que geralmente são descartados, mas podem ser incorporados à produção de alimentos e resultar em produtos ricos nutricionalmente. “Nossa proposta foi justamente mostrar para os participantes como eles podem aproveitar os alimentos de forma integral, principalmente frutas e hortaliças. Nós propomos o aproveitamento da banana, um produto comum no dia a dia, mas que as pessoas só focam em consumir a polpa, e normalmente descartam a casca que é uma fonte de fibra e de minerais”, acrescentou Josiane Serra. “A ideia é evitar o desperdício e agregar valor nutricional”, frisou a professora.

Além de voltar para São Luís com muita história na bagagem, Josilene Serra leva a premiação de melhor apresentação na área de ciências agrárias e o terceiro lugar na apresentação oral. “Nosso trabalho foi sobre o potencial tecnológico de fermentados e frutos de acerola. Nós estamos utilizando duas cepas, que são justamente a nossa proposta de aumentar o conteúdo de aromas frutados e florais para o vinho de acerola, sabendo que a acerola é muito desperdiçada”, explicou. “É uma forma de promover o uso tecnológico desse fruto e agregar um potencial biotecnológico”, complementou. “A organização do evento foi impecável. Estão todos de parabéns, pois vimos que trouxeram várias propostas de temáticas associadas à temática nacional da bioeconomia”, frisou Josiane Serra.

SNCT premia os melhores trabalhos

Professora Ana Roberta Miranda fez uma compilação das abordagens discutidas sobre bioeconomia

O encerramento do evento ocorreu no auditório central, às 18h, com uma palestra sobre bioeconomia e desenvolvimento sustentável, proferida pela doutora em Agronomia/Agricultura Tropical e editora da Nature no Brasil, Ana Roberta Lima de Miranda. Em sua participação, Ana Roberta Miranda fez uma compilação das abordagens discutidas sobre bioeconomia durante todo o evento, destacando sua importância para o desenvolvimento mundial, a aplicabilidade da ciência e tecnologia e as potencialidades em nível de Brasil. “Busquei abordar sobre a economia mundial e os incrementos trazidos na geração de emprego e renda por meio da bioeconimia. Além disso, foquei nas riquezas e diversidades do Brasil que o fazem um país de grande potencial, principalmente não uso de biomassa vegetal para produção de combustíveis”, acrescentou Ana Roberta. Neste ano, a SNCT trouxe o tema “Bioeconomia: diversidade e riqueza para o desenvolvimento sustentável”, que se baseia na busca pelo desenvolvimento sustentável do Brasil representado pela bioeconomia e na sua relação com a Agenda 2030, estabelecida pela Organização das Nações Unidas (ONU). Exatamente por sua transversalidade, a bioeconomia possui relação direta com ao menos 10 dos 17 Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS). “É importante que o público conheça os objetivos do desenvolvimento sustentável acordado entre os países e a ONU e o papel da ciência e tecnologia para construção de processos e obtenção de produtos voltados para desenvolvimento da bioeconomia”, argumentou a professora.

Na avaliação de Ana Roberta, o tema bioeconomia ainda precisa ser conhecido e discutido principalmente dentro dos ambientes de ensino e pesquisa. “Uma vez que o papel destas instituições são imprescindíveis para descoberta de tecnologias sustentáveis de produção”, justificou a professora. “O Campus Caxias realizou um evento grandioso, com presença de pesquisadores, formadores de opinião e toda a comunidade acadêmica”, afirmou.

Logo após a palestra sobre bioecnomia, a comissão organizadora do evento premiou os melhores artigos em forma de pôster, apresentações orais e os melhores do evento. Com pesquisa que fez uma avaliação qualitativa das preparações de cardápio em uma unidade de alimentação e nutrição, verificando os fatores de risco para doenças crônicas não transmissíveis, o aluno Jadson Vinicius Nascimento Oliveira, do terceiro ano do curso técnico em Agroindústria integrado ao Ensino Médio, conquistou o primeiro lugar na apresentação oral e foi considerado o melhor trabalho na área multidisciplinar. “Achei muito legal receber esse reconhecimento em um evento dessa magnitude. É uma forma de reconhecer o esforço do pesquisador que dedica meses e anos a um trabalho. O prêmio deve ser dividido com minha a orientadora, nutricionista Dalva Muniz”, disse Jadson Nascimento.

Jaudeana Lima Pereira, aluna do curso de Zootecnia, levou o primeiro lugar na área de ciências agrárias na apresentação em forma de pôster. Com o título “Adubação mineral no desenvolvimento da espécie Desmanthus virgatus L. cultivada no cerrado maranhense”, ela desenvolveu um projeto sob orientação da professora Maria Veronica Meira de Andrade e do técnico em agropecuária Ednaldo Bezerra, e em parceria com as alunas Helane Cristina de Andrade Rodrigues Severo e Raimunda Leida Feitosa de Sousa. “Fico muito feliz em receber esse certificado em nome da equipe. Nosso projeto visa gerar informações sobre a espécie Desmanthus virgatus contribuindo assim para a melhoria da qualidade alimentar dos animais. Além disso, é importante porque vai fortalecer a produção pecuária em Caxias, tornando-a cada vez mais sustentável e economicamente viável”, declarou.

A servidora Renata dos Santos Ferreira conquistou o primeiro lugar da área de ciências humanas com uma apresentação em forma de pôster, com um trabalho intitulado “Técnicas de comunicação, expressão e oratória para discentes do curso técnico em Agropecuária integrado ao Ensino Médio no âmbito do Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária – Pronera”. “Trabalhar no Pronera tem sido de muito aprendizado, pois a partir das dificuldades e perspectivas vivenciadas pelos alunos no que diz respeito à oratória e comunicação, tivemos a ideia de elaborar um projeto, e a partir daí executar um minicurso nas comunidades atendidas pelo Incra”, frisou Renata Ferreira. “Os resultados alcançados foram excelentes, pois os alunos conseguiram aprimorar a leitura, a construção de um discurso claro, objetivo e fluente com marcas e estilos individuais”, afirmou ela.

“Confesso que ainda estou sem acreditar nesta premiação”, brincou. “Minha maior satisfação é ter conseguido proporcionar aos discentes do Pronera um conjunto de conhecimentos e práticas voltadas para a leitura, a comunicação e a oratória. Os maiores protagonistas são eles [os alunos], por terem abraçado o Programa e disponibilizarem-se a abrir caminhos para novas reflexões e aprendizados”, frisou Renata Ferreira.

Em seu discurso no encerramento da SNCT, Pedro Pavão frisou que, motivados pelo tema bioeconomia, os participantes foram sensibilizados ao uso sustentável do meio ambiente e geração de empreendedores, com foco na conservação. “A SNCT do IFMA Campus Caxias foi um marco. Enfim, podemos dizer que entramos na agenda dos maiores eventos da região”, concluiu.

 

Acesse mais imagens na galeria de fotos do evento.

 

 

Fim do conteúdo da página