Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
  • Acessibilidade
  • Alto Contraste
  • Mapa do Site
  • PortugueseEnglishSpanishChinese (Simplified)FrenchGermanItalian
Página Inicial > Notícias > IFMA Campus Caxias realiza colação de grau especial
Início do conteúdo da página Notícias

IFMA Campus Caxias realiza colação de grau especial

A aluna Anny Mykaelly de Sousa recebeu a outorga do grau devido à aprovação em mestrado.
  • Assessoria de Comunicação
  • publicado 10/01/2020 08h47
  • última modificação 10/01/2020 08h47

O Instituto Federal do Maranhão (IFMA) Campus Caxias realizou, na manhã da quinta-feira (09), a sessão de colação de grau especial para Anny Mykaelly de Sousa, aluna do curso licenciatura em Ciências Biológicas. A cerimônia ocorreu no Gabinete da Direção-Geral e foi presidida pelo diretor-geral em exercício, Raimundo Filho.

A sessão especial foi solicitada pela aluna devido à aprovação para o mestrado em Agroecologia, da Universidade Estadual do Maranhão (UEMA), pioneiro no Brasil com essa denominação, com os níveis de Mestrado e Doutorado, na modalidade acadêmica. Na ocasião, o Raimundo Filho destacou que a aprovação de Anny Sousa confirma a qualidade do curso Ciências Biológicas. “Esse mestrado é concorrido e respeitado por profissionais da área. Então, a aprovação de Anny reflete, de certa forma, a qualidade do curso em termos de profissionais docentes e técnicos e de infraestrutura, como laboratórios”, apontou ele. Ao traçar o perfil de Anny Sousa durante a graduação, o gestor ressaltou a sua participação nas atividades de ensino, pesquisa e extensão. “Anny é uma pessoa humilde, dedicada e que busca aprimorar e compartilhar seus conhecimentos. No IFMA, ela o fez através da participação em monitoria, projetos de pesquisa e de extensão, além da colaboração em vários eventos institucionais”, afirmou Raimundo Filho.

Além de familiares e amigos, a sessão contou com a presença de Renata Ferreira, representante do Departamento de Ensino; Maria Histelle Sousa do Nascimento, coordenadora de curso, em exercício; Miriam Amanda Lustosa, chefe do Departamento  de Registro de Controle Acadêmico (DRCA). A mãe da aluna, Maria do Socorro Sousa, não escondia a emoção pela conquista. “Tenho seis filhos. E ela está sendo a primeira a chegar ao mestrado. É muita felicidade, pois esse momento reflete o esforço dela e nosso também”, disse. “A Mykaelly nunca me deu trabalho na escola; nunca fui chamada em momento algum para receber reclamações sobre ela. Ao contrário, ela sempre foi uma referência para todos, inclusive para os irmãos”, prosseguiu. “Por seu talento e dedicação, acredito que o caminho dela continuará sendo repleto de vitórias e cheio de conquistas. Eu fico muito feliz porque ela está fazendo algo, que gosta que é estudar”, afirmou Maria Sousa. “Eu disse para Anny que para ela for, também irei junto. Então, agora nosso destino é São Luís”, acrescentou.

A linha de pesquisa de Anny Sousa no mestrado será vinculada aos estudos sobre minhocas. “Vou está no grupo do professor Guillaume Xavier Rousseau. Nós descobrimos uma nova espécie de minhoca aqui em Caxias. Então, é um novo estudo no Maranhão, somente eu e o professor Guillaume Rousseau estamos desenvolvendo. Não posso dar muitos detalhes, mas a espécie, que é encontrada na reserva do Inhamum, já foi para o Museu do Pará para elaboração da catalográfica”, afirmou a aluna.

Aprovações em mestrado

Em 2018, o Campus Caxias aprovou oito estudantes em programa de mestrado no Brasil. Com isso, o Campus atingiu uma taxa de aprovação de quase 20% em programas stricto sensu, considerando o quantitativo dos alunos aptos a colarem naquele ano. “Outro aspecto que merece destaque é que todos os aprovados atuaram em projetos de iniciação científica durante a graduação”, lembrou Raimundo Filho.

Além de Anny Mykaelly de Sousa, quatro ex-alunos do Campus Caxias foram aprovados em mestrados, em 2019.

“O Campus Caxias oferece uma estrutura que dá o suporte necessário para as demandas do aluno, do ensino médio a pós-graduação”, comentou Raimundo Filho. “A instituição prepara o aluno para o mundo de trabalho, mas também para a vida acadêmica”, ponderou Filho, comentando sobre a significativa aprovação dos alunos em programas stricto sensu.

registrado em:
Fim do conteúdo da página